A importância da supervisão de enfermagem para a manutenção da elevada qualidade da assistência

02/05/2012 • Por • 2,069 Acessos

INTRODUÇÃO

A supervisão de enfermagem é um instrumento gerencial usado pela enfermagem, com intuito de avaliar o desempenho das atividades realizadas, a qualidade dos serviços a serem ofertados e a avaliação do desempenho, e a dinâmica organizacional. Ferreira (1999) afirma que supervisão é ação ou efeito de supervisionar (dirigir, orientar ou inspecionar em plano superior), sendo uma função do supervisor.

 Já Brasil (1981, apud CUNHA 1991, p.118) garante que a supervisão é um processo "educativo e contínuo, que consiste fundamentalmente em motivar e orientar os supervisionados na execução de atividades com base em normas, a fim de manter elevada a qualidade dos serviços prestados". Ela possui uma visão ampla e gerenciadora do serviço, ou seja, é considerada uma atividade, diligente, eficiente, eficaz, contínuo, de valor educativo, assim como de caráter motivador, orientador e auxiliador de recursos humanos, materiais, organizacionais e do processo de trabalho de enfermagem como um todo.

Segundo Conselho Federal de Enfermagem (COFEN), Lei nº 7.498/86, de 25 de junho de 1986, "é função privativa do enfermeiro o planejamento, organização, coordenação, execução e avaliação dos serviços de assistência de enfermagem", a supervisão é função inerente ao profissional enfermeiro, que tem que exercê-la de forma particular.

Percebe-se que a enfermagem possui sua função gerencial e consequentemente supervisora  legalizada, podendo exercê-la com respaldo, sendo a mesma empregada como direito e dever no exercício do cumprimento profissional.

Apesar da deficiência na utilização ou da não utilização da supervisão de enfermagem, encontra-se nela um ponto de destaque para a detecção precoce e, consequentemente, para a resolução de problemas que possam prejudicar o desenvolvimento das ações de enfermagem, porque a mesma possui um aspecto administrativo que pode ser utilizado como força motivadora de integração e coordenação dos recursos humanos e materiais de uma organização, tornando possível o desenvolvimento de um programa de trabalho ideal, eficiente e eficaz, visando a atingir um nível de excelência no serviço.

A supervisão contribui ainda para ensinar, orientar, observar pontos positivos e negativos do serviço, tendo conhecimento de sua equipe de trabalho, sabendo, portanto organizá-la e distribuí-la de acordo com as necessidades da clientela e do que cada membro da equipe está mais capacitado a desenvolver, adequando de forma precisa à qualidade da assistência de enfermagem. Torna-se um elo entre organização de saúde, clientela e equipe de enfermagem.

Pelo fato da enfermeira ser responsável pelo planejamento e coordenação das atividades nas instituições de saúde, a mesma deve atuar como corresponsável pela assistência integral da clientela por meio de ações de promoção, prevenção, reabilitação e recuperação da saúde.Este é um estudo de revisão bibliográfica, que tem como objetivo: Refletir sobre a importância da Supervisão de enfermagem para manutenção da elevada qualidade da assistência.

DESENVOLVIMENTO

A palavra supervisão é originada das palavras latinas "super" que quer dizer "sobre" e "vídeo" que significa "eu vejo". Esses termos podem dar ideia de inspeção, apresentando significado de definir, fiscalizar, comando, imposição, autoridade; demonstrando uma ausência de simetria entre supervisor e supervisionado, dentro de um modelo de gestão vertical, estando essa concepção presente na visão tradicional. Já a visão moderna conceitua supervisão através da união das palavras controle e educação, favorecendo a práticas que gere uma gestão colaborativa.

A supervisão há mais de duas décadas, baseava o seu conceito na qualidade dos serviços a serem ofertados à população, destacando o aperfeiçoamento dos trabalhadores em saúde, avaliação do desempenho e a dinâmica organizacional como integrantes do processo de supervisão.

Apesar da supervisão já ter sido apreciada conforme a visão tradicional, a partir de uma função com estilo fiscalizador e punitivo onde o supervisor assegurava o cumprimento de ordens e regulamentos impostos, na atualidade a mesma passa a ser vista como a interação do supervisor com o supervisionado, interação esta que tem como resultado a resolução de problemas em conjunto, de forma cooperativa e sistematicamente planejada.

Para Kawata e colaboradores (2009), a supervisão pode ser compreendida como parte integrante do trabalho em saúde, a partir das demandas e dos objetivos dos serviços. Assim se constitui em um produto de políticas institucionais e estruturais organizativas e se fundamenta em uma prática em que se reproduz e se constrói essas políticas, estando nela presente três elementos: político, de controle e de educação.

Na prática de enfermagem observa-se que, na maioria das vezes, o enfermeiro não tem realizado de forma efetiva a supervisão, ou seja, não está exercendo de forma adequada o seu poder decisório sobre a assistência prestada pelos outros membros da equipe de enfermagem.

Um outro fator que dificulta a gestão em enfermagem, incluindo a supervisão, é que "os próprios estudantes, durante a graduação em Enfermagem, predominantemente não demonstram grande motivação para aprender a gerenciar", interessando-se apenas com a técnica, tecnologia de equipamentos, patologias e seus respectivos tratamentos, com predomínio do modelo biomédico e com a prática propriamente dita.

Atualmente, para ser ao mesmo tempo enfermeiro e gerente é imprescindível "conhecer além do que o banco da academia (formal) nos repassa, é preciso sim ter conhecimento teórico associado à prática, é necessário a práxis", é preciso aprender a reaprender, por meio de críticas, essas desenvolvidas por leituras reflexivas.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Ao realizar esse estudo, fica nítida a importância da supervisão de enfermagem para a manutenção da assistência de qualidade. A supervisão de enfermagem deve ser trabalhada de forma coletiva, entre as equipes de saúde, tendo sempre como finalidade a cooperação e o estímulo do trabalhador.

 A supervisão é um instrumento positivamente a qualidade da assistência, entretanto, ainda gerencial com potencial para impactar positivamente a qualidade da assistência, entretanto, ainda hoje, um expressivo contingente de enfermeiros adota uma prática gerencial de base burocrática, ainda está distante da concepção de gerenciamento articulado/focado na assistência, prática esta que requer a adoção de medidas mais participativas e integradoras de supervisão.

A equipe de enfermagem é responsável pela assistência e cuidados, portanto estabelece contato direto com o paciente, dessa forma torna-se necessário, que seja realizada a supervisão de forma eficaz, clara e objetiva, onde todos possam ser avaliados, e a partir dela sejam implementadas ações, que visem a redução de erros e a melhoria da qualidade da assistência prestada.

REFERÊNCIAS

KURCGANT p. gerenciamento em enfermagem. 1st ed. rio de  Janeiro: Guanabara Koogan; 2005.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM - COFEN. Lei nº 7.498/86. Disponível em: http://www.portalcofen.gov.br/node/4161.acesso em 01 de maio de 2012, ás 17h44min.

NÓBREGA, Maria de Fátima Bastos. Processo de trabalho em enfermagem na dimensão do gerenciamento do cuidado em um hospital público de ensino. 2006. Dissertação (Mestrado em Cuidados Clínicos em Saúde) - Universidade Estadual do Ceará. Disponível em:<http://www.huwc.ufc. br/arquivos/biblioteca_cientifica/1177286741_90_0.pdf> Acesso em: 15 de Abril.

KAWATA, Lauren Suemi et al. O trabalho cotidiano da enfermeira na saúde da família: utilização de ferramentas da gestão. Texto contexto - enfermagem, Florianópolis, v. 18, n. 2, jun. 2009. Disponível em:<http://www.scielo.br/scielo. php?script=sci_abstract&pid=S0080...pt .Acesso em:07 de Abril de 2012 ás 10h00min.

Perfil do Autor

Mônica Vilarinho dos Santos

Mônica Vilarinho Dos Santos ,Discente da Faculdade de Tecnologia e Ciências-FTC(Vitória da Conquista-BA).Email:santosvilarinhomonica@hotmail.com