ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE - NA CONCEPÇÃO DO IDOSO E DO PROFISSIONAL DA SAÚDE

Publicado em: 07/11/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 3,011 |

 

A atividade física na terceira idade é uma pratica em evolução, onde o idoso busca um melhoramento físico, objetivando uma vida mais saudável e também um bem-estar mental. Esta pratica se torna cada vez mais freqüente, pois a partir dela as pessoas que se encontram na terceira idade preenchem o tempo vago existente, sem ficarem isolados do meio social se sentindo inúteis e inativos, a atividade física proporciona o reencontro de valores como o surgimento de novas amizades, motivação, vaidade, bem-estar entre tantas.

Do ponto de vista profissional e terapêutico a prática de exercícios físicos já está confirmada como um dos mecanismos fundamentais na manutenção da qualidade de vida na terceira idade, de modo que auxilia para a recuperação e/ou apenas equilíbrio de doenças que surgem nessa fase da vida, como osteoporose, diabetes e hipertensão, obesidade, desgaste muscular, equilíbrio entre outras.

Dessa forma observamos que essa prática introduz vários benefícios aos idosos de forma a alertar a importância de debater esse assunto – Qual a concepção do idoso e do profissional de  saúde quanto a pratica de exercícios físicos na terceira idade.

1. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

1.1 Atividade Física na Terceira Idade – Benefícios dessa prática

Nos últimos anos tem-se verificado um aumento consideravelmente expressivo na parcela de idosos na população brasileira. Esse aumento é conseqüência de uma série de fatores histórico-culturais em modificação ideológica que têm ocorrido, os quais resultam numa longevidade de vida acrescida à população idosa do país, podemos citar alguns deles, como: a queda da natalidade em algumas classes da sociedade nos últimos anos, uma melhora, ainda que pequena, no sistema de saúde e principalmente uma consciência qualitativa por parte dos idosos em manter hábitos saudáveis no seu dia-a-dia, mantendo as expectativas de um crescimento gradativo dessa tendência nos próximos anos.

Paralela as causa que tem gerado esses resultados e intimamente ligada as iniciativas dos idosos em busca de melhores condições de vida nessa fase, surge a prática de atividades físicas como um dos recursos utilizados para manter uma rotina saudável, tanto no campo biológico, físico, funcional como também na saúde mental e interatividade social.

Esse recurso se mostra muito mais abrangente em seus benefícios nos idosos do que em qualquer outra pessoa de faixa etária inferior, pois neles tal prática consegue suprir, na maioria das vezes, diversos problemas de saúde que a idade os impõe além de romper um estereotipo criado pela sociedade aos idosos, refletindo-se neles em "doenças" psicológicas como a depressão. Uma pessoa adulta geralmente pratica exercícios físicos com uma meta específica já os idosos com inúmeras finalidades convergidas numa atividade de lazer.

 

1.2 A Atividade Física como um recurso na manutenção funcional do corpo

Quando se chega à terceira idade, ocorrem inúmeras alterações no comportamento funcional do corpo, isto é, surgem mudanças estruturais e funcionais em várias partes do corpo decorrentes da idade e que impossibilitam o idoso a fazer certas atividades que antes eram comuns. Isso ocorre devido ao processo natural de envelhecimento paralelo a uma redução nas atividades motoras em geral, resultando dessa forma em "diversas degenerescências e patologias resultantes do sedentarismo" (ALBERGUINI AUDRE).

As alterações podem ser várias, como os problemas cardiovasculares e respiratórios, má regulação intestinal, resistência imunológica, doenças crônicas e hereditárias. Além da redução de massa muscular e óssea (osteoporose), equilíbrio corporal, mobilidade articular e flexibilidade – problemas que tornam os idosos mais vulneráveis a quedas e lesões no seu dia-a-dia.

Em frente a tantos distúrbios que a idade traz ao idoso a atividade física se mostra como um tratamento coadjuvante, auxiliando e às vezes revertendo por completo alguns desses problemas de saúde, como os relacionados à força, equilíbrio e mobilidade. Há ainda um gasto d energia extra que se acumula em forma de gordura, causando a obesidade, muito comum pela queda do metabolismo basal nessa fase.

Diante de tantos benefícios, se devem ter certos cuidados antes da inserção dessa prática na vida diária de um idoso, de modo que não ocorra nenhum efeito oposto ao esperado. Segundo SUMIRE OKUKA, dois fatores são preponderantes na escolha da atividade física, "primeiramente o idoso precisa olhar para si e ver qual a sua capacidade funcional e o outro é a avaliação clínica de saúde, para uma orientação sobre quais os exercícios que devem ser adotados".

Tal cuidado também se torna importante para não haver qualquer tipo de frustração cuja possa interromper a prática e corromper a idéia positiva dessa atividade.

Tomados os devidos cuidados a atividade física só vem a contribuir, de forma bem generalizada, ao idoso nessa fase de mudanças e adaptações.

 

1.3 A Atividade Física como um propulsor ao bem-estar Psico-social

Assim como vários problemas de saúde que se mostram e se agravam durante a terceira idade, a "cabeça" dos idosos também passa por fortes transformações. Ao passo que há uma redução nas atividades em geral por imposições que o corpo desgastado pela idade impõe ao idoso, o mesmo deixa de realizar certas atividades. Uma delas é a interatividade diária com o meio social, fazendo com que o idoso alimente um sentimento de exclusão e uma auto incapacidade sentindo-se inútil por não mais poder fazer certas coisas antes comuns a qualquer pessoa.

A preocupação com o corpo, pelo âmbito da vaidade, também vai se perdendo em muitos casos, o idoso não sente mais tanta necessidade de se cuidar por esse motivo e mesmo sem perceber, com isso diminui a sua auto-estima.

A ideologia de que velho não precisa pra nada, faz com que ao se chegar à terceira idade instale-se uma acomodação e apenas a espera pela aposentadoria. Mas, algo ainda muito grave, é quando o idoso sofre influência direta da sociedade desses estereotipo errado vinculado à terceira idade. O conjunto de todos esses fatores e outros geram um problema que afeta milhares de pessoas, a depressão.

Contudo, existe uma atividade que pode se não resolver totalmente, minimizar evidencialmente muitos desses problemas, a atividade física.

Vários autores citam melhoras variadas através da atividade física, tais como: "melhora da auto-estima; melhora do humor; melhora da imagem corporal; desenvolvimento da auto-eficácia; diminuição do estresse e da ansiedade; melhora da tensão muscular e da insônia; diminuição do consumo de medicamentos; melhora das funções cognitivas e da socialização" (BERGER 1989, PETRUZELLO et al ., 1991; SWOAP et al ., 1994; BIDDLE1995; McAULEY e RUDOLPH 1995; YOUNGSTEDT et al ., 1997; VAN BOXTEL et al ., 1997; WOOD et al; 1999; OKUMA 1998,1999; ARENT et al ., 2000).

Especialmente para dois destes autores, a atividade física não inside diretamente e/ou isoladamente na resolução de alguns problemas, mas sim por intermédia de um conjunto de benefícios, observe o que dizem McAULEY e RUDOLPH (1995) apud MATSUDO, 2001, p.132

De 38 estudos que analisaram a relação atividade física, envelhecimento e bem-estar psicológico, os autores encontraram que a maioria reportou uma associação positiva entre tais variáveis, sendo que os programas mais longos demonstram consistentemente resultados mais positivos. Não foi encontrada diferença em relação ao sexo ou a idade, assim como parece não existir relação entre as alterações na aptidão física produzidas pelo treinamento e os efeitos no bem-estar. As hipóteses dadas pelos autores para explicar a associação entre atividade física e o bem-estar psico-social incluem: a) melhora da auto-eficácia; b) a distração provocada pela atividade física;  c) a interação social ocasionada pela atividade física; d) o aumento dos opióides endógenos e o efeito analgésico das encefalinas e endorfinas aumentadas durante e após o exercício; e) a supressão do cortisol em resposta ao estresse causado pelo aumento da aptidão física que leva a melhora na função emocional; f) outros mecanismos fisiológicos, tais como os efeitos termogênicos das catecolaminas. Entretanto, parece difícil que qualquer um desses mecanismos isoladamente explique essa complexa relação.

 

De acordo com analise feita pelos autores podemos observar que os benefícios físicos corporais que incluem o melhor funcionamento bioquímico de certas estruturas do corpo ajudam a criar uma sensação de bem-estar.

0utros dois aspectos importantes são citados por MOORE (1999) apud MATSUDO, 2001, p.133: "É um método relativamente de baixo custo, pode ser adotado por grandes grupos populacionais, pode causar menos efeitos colaterais ao ser um método de prevenção da depressão". Nessa afirmação ele traz a importância de realizar essa atividade em grupos, forma que ajuda muito no relacionamento social, além de não representar grandes gastos financeiros, se for, por exemplo, praticar uma caminhada em praças públicas. E outro alerta é em relação à ingestão de medicamentos antidepressivos que causam efeitos colaterais, até por serem mais uma entre que já são ingeridos nessa idade para outros fins. A atividade física pode suprir essa necessidade.

Nesse contexto de alterações psicológicas a prática de exercícios pode ser muito importante, pois o idoso sente-se novamente integrado a vida social, sente-se útil, pois está disposto tanto fisicamente como mentalmente, melhora suas relações sociais e muda a visão da sociedade em sua relação aprendendo a driblar as mudanças que afetam o seu sistema psicológico.

 

2. OBJETIVOS

2.1 GERAL

Investigar qual a concepção do idoso e do profissional de saúde em relação a pratica de atividade física.

 

2.2 ESPECÍFICOS

  • Verificar quais são os benefícios que a prática de atividade física pode proporciona aos idosos;
  • Analisar e discutir quais os exercícios mais indicados à terceira idade;
  • Compreender o interesse do idoso a praticar atividade física;
  • Investigar as dificuldades encontradas pelo profissional e pelo idoso quanto à realização de uma atividade física;
  • Verificar como está sendo realizada essa atividade.

 

 

3. METODOLOGIA

3.1 Caracterização da Pesquisa

Caracteriza-se por uma pesquisa qualitativa, pois considera que há uma relação dinâmica entre o mundo real e o sujeito, isto é, um vínculo indissociável entre o mundo objetivo e a subjetividade do sujeito que não pode ser traduzido em números. A interpretação dos fenômenos e a atribuição de significados são indispensáveis nos processos de pesquisa qualitativa. Não requer o uso de métodos e técnicas estatísticas. O ambiente natural é a fonte direta para coleta de dados e o pesquisador é o instrumento chave. É descritiva. Os pesquisadores tendem a analisar seus dados indutivamente. O processo e seu significado são os focos principais de abordagem.

 

3.2 Problema de Pesquisa

Qual a concepção do idoso e do profissional de saúde à prática de exercícios físicos?

 

3.3 Participantes da Pesquisa

Participarão da nossa pesquisa, idosos que venham a praticar algum tipo de exercício físico e profissional de saúde da área.

 

3.4 Questões de Pesquisa

 

A análise fundamental da nossa pesquisa é descobrir além da visão profissional qual a concepção do idoso que pratica alguma atividade, e descobrir de ambos quais os benefícios que essa atividade proporciona.

 

3.5 Procedimentos e Instrumentos de Coleta de Dados

  • Através de entrevista direta com os participantes da pesquisa, idosos e profissionais de saúde;
  • Busca de conceitos bibliográficos, de artigos, na internet, em revistas e etc.;
  • Informações gerais em instituições que oferecem esse programa de atividade física para a terceira idade;
  • Informações em geral.

 

3.6 Previsão de análise de dados

  • Analisar as respostas dos questionários;
  • Buscar as respostas para problemas, se houver;
  • Interpretar as idéias dos entrevistados;
  • Relacionar as respostas dos questionários entre os participantes da pesquisa;
  • Analisar o interesse do idoso em relação à prática de exercícios físico;
  • Perceber como está ocorrendo essa prática entre os idosos;
  • Verificar se os exercícios indicados são os mesmos praticados pelos idosos.

 

4. ANÁLISE DE RESULTADOS

A partir de uma pesquisa realizada por profissionais da saúde, da área de educação física e alguns idosos que praticam algum tipo de atividade física na cidade de Cachoeira do Sul, podemos observar vários aspectos sobre este tema, como também perceber quedados e comprovações levantados por alguns pesquisadores e autores que trabalham o assunto se comprovem também na realidade de nossa cidade.

Mostrando que a pratica de exercícios físicos é bem vista pelos nossos entrevistados, pois ela proporciona uma qualidade de vida cada vez mais almejada pela população com mais de 60 anos. Tornando-se necessária a preocupação no ramo profissional a adequação de programas a terceira idade, para que estes hes ofereçam somente os benefícios esperados.

Durante as entrevistas podemos perceber que esta fase é de intensas transformações na vida dos idosos, tanto no meio social quanto as variações corporais. Sendo possível traçar algumas características deste grupo.

Dos 14 idosos entrevistados a idade oscilava entre 60 e 88 anos, sendo que 78% destes eram mulheres. Isso de certa forma, explica-se devido ao modo como são praticados os exercícios, em grupos, sabido que esses algumas vezes estão inseridos dentro dos programas voltados a terceira idade de certas entidades da cidade – como o Grupo Maturidade Ativa do SESC – que oferece além de atividades físicas outro como coral, viagens, reuniões e demais atividades. Assim o publico feminino aparece com mais expressividade do que o masculino que procura realizar de forma mais particular e individualizada as atividades, não que estes estejam totalmente imperceptíveis em trabalhos em conjunto.

A preocupação com a saúde funcional e mental é outra característica, eles apresentam inteira noção sobre os problemas de saúde relacionados ao funcionamento corporal que estão sujeitos a sofrer em razão da idade e do desgaste que a mesma traz. Paralelamente a manutenção funcional percebe-se também o interesse de afastar o fantasma da depressão, através da atividade física que acomete milhares de pessoas pelo mundo, principalmente para aqueles que já estão passando por varias transformações em suas vidas.

Mudanças relatadas como a aposentadoria, a saída dos filhos de casa, às vezes até mesmo a perda do companheiro. Vários fatores que impõem uma nova rotina de vida a quem estava acostumado com a correria do dia-a-dia e assim sente a falta de uma nova ocupação para satisfazer á a anterior ou até mesmo porque dispõe, agora de tempo para realizá-las.

Entre outros fatores, a predisposição a pratica de exercícios que eles mostram, confere uma característica fundamental a esta iniciativa. Não adianta apenas a tão insistida recomendação medica, por exemplo, se não há uma consciência pessoal, uma determinação e um querer por parte do praticante. Realizar qualquer atividade se estar satisfeito e comprometido só surtira efeitos negativos, tanto para o campo corporal como psicológico.

Segundo os quatro profissionais de saúde entrevistados, somente após avaliações semelhantes a estas que ocorreram na pesquisa, sobre uma analise pessoal do idoso em relação as suas condições físicas e psicológicas, somada a outras que devem ocorrer clinicamente pelos profissionais para uma melhor avaliação de saúde destes idosos, pode ser iniciado o trabalho de inserção das atividades. O qual deve ser feito de forma cuidadosa, individualizada adequando-se as limitações físicas e emocionais que eles apresentam. De acordo com isso os profissionais ressaltam não haver maiores dificuldades para o trabalho com os idosos.

Iniciada as atividades os benefícios surtem no decorrer de seu andamento e podem ter reflexos em vários setores. Refletindo positivamente na vida do idoso, os exercícios podem retardar e ou minimizar alterações corporais relacionadas ao envelhecimento, tais como mobilidade articular, flexibilidade, força muscular, equilíbrio, coordenação, manutenção da densidade óssea, melhoria de patologias relacionadas ao sistema cardiovascular como hipertensão, alem do colesterol, diabetes, obesidade e melhoria também no aparelho respiratório, entre outras que conferem à capacidade funcional do corpo.

Além disso, os profissionais apontam reflexos também no sistema emocional e psicológico em idosos que praticam qualquer tipo de exercício, por mais simples que ele seja, contribuindo notavelmente para uma não reclusão imposta, pensada às vezes pela idade, que se traduz em baixa auto-estima, ansiedade e depressão. Sendo preciso com isso recomendar exercícios que satisfaçam estes dois âmbitos.

Segundo os profissionais os exercícios recomendados são vários, respeitando é claro as limitações de cada um. No geral são indicadas atividades que reforçam os músculos responsáveis pela sustentação e postura sendo evitadas cargas muito pesadas e esses praticados geralmente em aparelhos. Atividades aeróbicas como caminhadas, dança, ginástica, que possibilitem flexibilidade e mobilidade. Exercícios de alongamento, assim como atividades de socialização de caráter recreativo que esta relacionada ao bem-estar através da produção de endorfina e endrógeno responsáveis por esta sensação e recuperação da auto-estima.

Analisando os resultados foi possível estabelecer uma ligação bem direta entre a recomendação e a pratica, a maioria das atividades executadas pelos idosos entrevistados são realmente as indicadas pelos profissionais. O que nos permite conclui que grande parte deles faz uma analise antes de começar a praticar exercícios para saber as devidas indicações. Houve ainda quase que unanimidade a prática de caminhada, um exercício simples de inúmeros resultados e que não exigem grandes planejamentos. Nos mais foram relatadas atividades em academias, em grupos de encontro que praticam dança e outros do tipo. Além disso, as atividades são praticadas regularmente obedecendo a uma freqüência satisfatória, a maioria realiza no mínimo três vezes por semana, enquanto que alguns, mais assíduos, todos os dias.

Os idosos de fato percebem as melhoras que o corpo sofre a partir do inicio das atividades. Relatando que se sentem mais dispostos, sem tantas dores pelo corpo e cansaço, ainda na manutenção de doenças já relatadas anteriormente que são em muitos casos hereditárias e conhecidas por eles, uma das entrevistadas afirma: "se eu não estivesse fazendo já estava entrevada". Esta progressiva melhora é notada principalmente se por algum motivo, não se torna possível à realização da atividade em determinado dia, visto que a atividade física se mostra mais eficaz quando praticada regularmente, o que eles realçam para a carência corporal e psicológica que isso acarreta.

Pois, os resultados não se limitam apenas ao funcionamento do corpo, mas sim ao meio de vida dessas pessoas que denotam mudanças significativas nesse sentido, há toda uma alegria de viver percebida nelas, um entusiasmo e entrosamento que a atividade proporciona, gerando novos relacionamentos, amizades, perspectivas de vida que traz novo ânimo e que não deixam que elas caiam em depressão. Quando perguntado sobre as mudanças que a atividade trouxe para suas vidas, a maioria relacionou ao convívio com outras pessoas, geralmente nas mesmas condições físicas e psicológicas, mudanças no meio social na vida como um todo e o bem-estar que isso traz.

Por ultimo podemos entender que a atividade física é para eles muito mais do que um simples programa de exercícios, é uma nova forma de viver. tendo conhecimento disso, pois, os profissionais precisam estar interagidos e informados para atender esse público que tem sede de viver com saúde.

 

5. Conclusão

Com o crescimento de medicações que permitiram maior controle e um tratamento mais eficaz das doenças infecto-contagiosas e crônico-degenerativas, aliados aos avançados métodos diagnósticos e ao desenvolvimento de técnicas cirúrgicas cada vez mais sofisticadas e eficientes, houve um aumento significativo da expectativa de vida do homem moderno, de acordo com a Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte e a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia. A conseqüência natural disto foi o aumento da vida média do homem que hoje se situa em torno de 66 anos (20 anos a mais do que em 1950). Atualmente, estima-se que a cada 10 indivíduos no mundo, um tenha mais de 60 anos, idade acima da qual o ser humano é considerado idoso no nosso meio, segundo a Organização Mundial da Saúde.

Entende-se que, a atividade física se constitui em um excelente instrumento de saúde em qualquer faixa etária, em especial no idoso, induzindo várias adaptações fisiológicas e psicológicas, tais como: aumento do VO2máx e da massa muscular, melhor controle da glicemia e da pressão arterial em repouso, redução do peso corporal, melhora da função pulmonar, da propriocepção, da auto-estima e da autoconfiança, menor dependência para realização de atividades diárias, etc., permitindo-nos concluir que a atividade física associada a um adequado programa de exercícios são subsídios fundamentais à melhora da qualidade de vida.

É fundamental que o idoso aprenda a lidar com as transformações de seu corpo e tire proveito de sua condição, prevenindo e mantendo em bom nível sua autonomia. Para isso é necessário um estilo de vida ativo, integrando atividades físicas de preferência grupais em sua vida cotidiana.

Pontua-se a importância da individualidade biológica face às atividades físicas, pois as necessidades de um ser humano variam de pessoa a pessoa, conforme sua aptidão física atual.

Vale ressaltar que a cada fase do desenvolvimento de nossa vida, há influências da que foi vivenciada anteriormente e afetará a que futuramente acontecerá o que corrobora a iniciação a atividade física precocemente, como forma de prevenção de doenças e manutenção do corpo.

Pode-se dizer que o trabalho apresentado serviu como fonte enriquecedora de conhecimento, valiosa cultura adquirida à prática de atividades físicas com idosos, ressaltando a importância e as restrições da mesma ao profissional que, com este público deseje trabalhar.

 

6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS

MATSUDO, Sandra Marcela Mahecha. Envelhecimento e Atividade Física. Londrina: Midiograf, 2001

Idade Ativa. Revista Eletrônica da Terceira Idade.

Melhor Idade Revista da UFG

http://www.vivaidade.com.br,

http://www.efdesportes.com.br.

 

 

 

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/saude-artigos/atividade-fisica-na-terceira-idade-na-concepcao-do-idoso-e-do-profissional-da-saude-3622769.html

    Palavras-chave do artigo:

    atividade fisica

    ,

    exercicios

    ,

    profissionais

    Comentar sobre o artigo

    Jonilson Santos

    Acredito que poderíamos passar para novos conceitos que parecem ser iguais, mas que na verdade fazem muita diferença. Pode ser que nem tanta para quem vê de longe mas muita diferença em seu significado e continuidade para adesão em programas voltados à saúde.

    Por: Jonilson Santosl Educação> Ciêncial 29/08/2011 lAcessos: 122

    Lembre-se: Dia 4 de Abril é o dia mundial da Atividade Física. Atividade física é definida como "qualquer movimento corporal” que resulte em gasto energético maior que os níveis de repouso.

    Por: Alexandre Vieiral Esportel 20/01/2009 lAcessos: 20,564 lComentário: 20

    A atividade física para portadores de necessidades especiais, neste artigo relacionado a pessoas com síndrome de Down, é muito importante no processo de inclusão social, pois auxilia na socialização, na melhora o equilíbrio emocional e também ajuda prevenir doenças congênitas que por acaso venham a atingir estes indivíduos.

    Por: Alexandre Vieiral Esportel 20/01/2009 lAcessos: 2,247

    A quimioterapia como outros tratamentos contra o câncer, podem trazer efeitos colaterais diversos, onde os mesmos interferem diretamente na qualidade de vida da população em questão.

    Por: Alexandre Vieiral Saúde e Bem Estarl 20/01/2009 lAcessos: 1,840 lComentário: 3
    Joaquim Rangel Lucio da Penha

    Esse trabalho foi realizado durante 1 ano, com um grupo da terceira idade PASF – Projeto de Atividades Física e Saúde em Nova Betânia – Farias Brito- Ce. Onde temos 40 participantes com idade igual ou superior a 60 anos. O método realizado foi através de coleta de dados inicial e final, com o objetivo de alem de proporcionar uma melhor qualidade de vida aos participantes do projeto através de atividades físicas, mostra os resultados satisfatórios como forma de incentivo para prática de atividade

    Por: Joaquim Rangel Lucio da Penhal Saúde e Bem Estarl 20/01/2011 lAcessos: 643

    O envelhecimento populacional é um dos grandes desafios da atualidade. A preocupação com relação à saúde e o bem-estar, principalmente com as pessoas idosas têm se acentuado nas ultimas décadas. Um dos motivos principais é o rápido crescimento da população brasileira com mais de 60 anos a partir da década de 90. Fazem-se necessários maiores estudos e pesquisas, que possibilitem cuidados, atitudes e recursos mais saudáveis a esta população. Dentre os principais aspectos desta preocupação, verifica-se a necessidade que essa população tem em praticar atividades corporais regularmente. E com isso reduzir problemas indesejáveis do processo de envelhecimento.

    Por: DANI JEFERSON DE OLIVEIRAl Saúde e Bem Estarl 21/11/2009 lAcessos: 1,189

    Confira neste artigo 3 diferentes tipos de exercícios que farão você emagrecer. Essas atividades físicas utilizam a técnica chamada Treino Intervalar, que ajuda na queima de gordura.

    Por: Marilia Scheinl Saúde e Bem Estar> Nutriçãol 22/09/2012 lAcessos: 150
    Thiago Miranda

    Se por um lado, a tecnologia e a industrialização facilitam nossas vidas e contribuem para o progresso social e econômico da civilização, por outro nos colocam a mercê de uma série de fatores de riscos relacionados ao estado de saúde. Contrariando essa perspectiva, a Educação Física aparece como uma das variáveis na promoção da qualidade de vida e da saúde, tendo papel importante na atuação escolar (NAHAS, 2001). A pesquisa pretende apontar o papel da educação física em pról à qualidade de vida.

    Por: Thiago Mirandal Educação> Ensino Superiorl 31/07/2009 lAcessos: 14,090 lComentário: 2
    Antonio Gil Castinheiras Neto

    O leitor irá conhecer a trajetória da Educação Física na área da saúde, suas conquistas, problemas e dificuldades na tentativa de se consolidar como uma profissão emergente quanto às questões que envolvem a prescrição de exercício na doença cardiovascular.

    Por: Antonio Gil Castinheiras Netol Saúde e Bem Estar> Medicinal 04/03/2012 lAcessos: 440
    Edison Candido Gonçalves

    Cuidar da saúde é agir na base. Adotar uma vida saudável através da prática constante de exercícios físicos e alimentos naturais é um ato de amor em relação a nossa pessoa e também em relação aos nossos semelhantes.

    Por: Edison Candido Gonçalvesl Saúde e Bem Estarl 16/09/2014 lAcessos: 14

    Veja nossas dicas simples da psicoterapia natural para melhorar sintomas da ansiedade e depressão pelo tratamento de psicoterapia natural

    Por: O Caminho do Bem Estarl Saúde e Bem Estarl 15/09/2014
    Nádia

    A importância do uso do soutien de Desporto na actividade física é cada vez maior, há que usar o soutien correto para cada ocasião. O uso de um soutien normal do dia- a -dia na execução de exercício físico pode causar dores, e danificar o peito! Apesar de escondidos por debaixo de um top de desporto, cumprem a função primordial de dar conforto e suporte ao seu peito durante o treino. Cuidar do peito é uma questão de saúde , que todas as mulheres deveriam ter em ATENÇÃO!

    Por: Nádial Saúde e Bem Estarl 11/09/2014

    Infelizmente, muitas vezes acabamos por nos deparar com pessoas que podem acabar por passar por problemas de saúde que sejam considerados como diversos, ou seja, são pessoas que podem ter alguns sintomas que podem não ser dados como sérios, assim como também podemos verificar que muitos podem acabar ter doenças que possam ser determinadas como sérias e que necessitam de tratamento. Apesar de muitos já terem conhecimento destas questões, algo que acaba por gerar dúvidas seria com relação a cura.

    Por: Sayuri Matsuol Saúde e Bem Estarl 08/09/2014

    A Saúde do Trabalhador traz à particularidade de ser uma área que institui práticas potencialmente transformadoras que perseguem a integralidade da atenção à saúde buscando a superação da dicotomia existente entre a assistência individual e coletiva, entre a vigilância epidemiológica e sanitária, entre as ações preventivas e curativas. A criação da RENAST, a partir da Portaria n. 1.679, de 19 de setembro de 2002, veio atender viabilizar e garantir atenção a saúde dos trabalhadores

    Por: tamires almeidal Saúde e Bem Estarl 21/08/2014 lAcessos: 15

    A anemia significa uma diminuição da hemoglobina no sangue, que causa uma redução dos glóbulos vermelhos (hemácias) circulantes.

    Por: Central Pressl Saúde e Bem Estarl 21/08/2014 lAcessos: 11

    A Lei Federal n° 8080/90, em seu artigo 6º, § 3º, regulamenta os dispositivos constitucionais sobre Saúde do Trabalhador, da seguinte forma: que a saúde do trabalhador deve ser entendida como um conjunto de atividades que se destina, através das ações de vigilância epidemiológica e sanitária, à promoção e proteção da saúde dos trabalhadores, visa à recuperação e reabilitação da saúde dos trabalhadores submetidos aos riscos e agravos provenientes das condições de trabalho.

    Por: tamires almeidal Saúde e Bem Estarl 17/08/2014

    Algo que pode acabar por gerar algumas dúvidas, é com relação a sintomas de doenças, sendo que podemos observar que muitas pessoas podem acabar por ter uma doença, mas quando um sintoma que seria considerado como diferenciado surge, ocorre a dúvida, se é ou não decorrente da tal doença. Sendo assim, iremos falar agora mesmo se a psoríase coça ou não, para que assim você possa ter certeza do que tem.

    Por: Sayuri Matsuol Saúde e Bem Estarl 14/08/2014

    O objetivo deste estudo foi investigar a prevalência de obesidade em escolares da rede pública de ensino do município de Cachoeira do Sul, RS. Foram avaliados escolares de 11 a 14 anos de idade, num totalde 214 alunos. Para a determinação de sobrepeso e obesidade foram utilizados, respectivamente, os percentis 85 e 95 do IMC por idade, propostos pelos Centers for Disease Control and Prevention - CDC (2000). As prevalências totais de obesidade e sobrepeso foram 15,42% e 7%, respectivamente.

    Por: Julianal Saúde e Bem Estar> Nutriçãol 25/10/2010 lAcessos: 673
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast