Dengue: Um dos Principais Problemas da Saúde Pública no Brasil

Publicado em: 16/06/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 1,359 |

1. Introdução:

Assume-se que prevenir a dengue é, sobretudo, lidar com o permanente combate aos criadouros de A. aegypti. Predomina, portanto a visão, inferida pela proposição do controle, de que o dengue é causado pelo mosquito Aedes aegypti, enfatizando-se então informações sobre o vetor e sinais e sintomas clínicos, contribuindo para fortalecer a visão unicausal da doença na população, obscurecendo a relação água/ vetor (na fase larvária) e com outros fatores sócios ambientais e contribuindo para valorizar o tratamento. Com relação aos sintomas de dengue clássica e hemorrágica, os autores avaliam que os conteúdos das mensagens destinam-se a auxiliar a população no reconhecimento de sintomas básicos do dengue hemorrágica e da síndrome de choque do dengue, mas remetem a população à idéia de hemorragia que lhe é familiar, como perda de grande quantidade de sangue.

2. Desenvolvimento:

Observa-se que as práticas de comunicação e educação realizadas para o controle do dengue não se diferenciam daquelas hegemônicas no campo da Saúde Pública no nosso país. Caracterizam-se por possuir uma modelagem centralizada, vertical e unidirecional, orientadas pela visão de que informações e conhecimentos estão concentrados e devem ser difundidos, e de que a comunicação é uma questão de aperfeiçoamento de técnica de transmissão de mensagens e de adequação de linguagem. Espera-se, com as práticas realizadas, que o público a que se destinam reaja ao emissor com mudanças de hábitos e comportamentos. Trata-se da comunicação e educação baseadas no modelo tradicional "emissor - canal - receptor", freqüentemente realizado com a eliminação das mediações socioculturais. Quando a cultura é considerada, ela tende a ser reduzida a uma questão de linguagem e com o objetivo de elevação do "grau" ou "nível" de conhecimento.

Passemos então à interrogação que o Fórum nos propõe: quais os problemas relativos às práticas de educação, comunicação e participação comunitárias no controle do dengue? Interrogamos aqui como as práticas de comunicação e educação vêm sendo realizadas para o controle do dengue no Brasil. Esses aspectos foram selecionados em função do enquadramento dado à análise, valorizando-se, como cenário das práticas, o processo de construção do SUS e a transformação do modelo de atenção à saúde, tentando-se superar os modelos hegemônicos – médico-assistencialista e o sanitarista-campanhista - para enfatizar a promoção da saúde e o conceito ampliado de saúde, a integralidade da atenção e a participação social, de acordo com o que está disposto na Lei Orgânica da Saúde. Quanto ao tratamento, destaca-se o cuidado para evitar ou reduzir a automedicação e banalização.

Do uso de paracetamol, pois nenhum material divulgou o perigo da ingestão de altas dosagens, que podem acarretar graves problemas de saúde. O modelo de comunicação caracteriza-se, portanto, por ter cunho campanhista, pontual, descontínuo, com ênfase para situações epidêmicas, quando seria necessário que o dengue estivesse na pauta da mídia durante todo o ano, assim como nas mídias alternativas, aquelas produzidas pelo próprio serviço, e se encontrassem respostas às dúvidas mais freqüentes, de forma correta e precisa.

A relação causal entre a presença de insetos e doença parece já estar incorporada ao universo simbólico das populações. Contudo, é interessante notar, percepção das mulheres de que a transmissão do dengue estaria associada à presença de mosquitos e outros insetos contaminados, e não unicamente ao A. aegypti. Os autores observam que elas se preocupam com casas fechadas e abandonadas, praças, terrenos baldios, riachos e rios, sem fiscalização da prefeitura, e freqüentemente utilizados para jogar objetos associados a entulho e lixo, reivindicando das autoridades uma fiscalização efetiva desses espaços. Destaca-se a incoerência do poder público notado pelas mulheres, uma vez que, ao mesmo tempo em que os agentes de saúde entram em suas casas para inspecionar os vasos de plantas, deixam de verificar as condições das áreas públicas, repletas de lixo e sujeira.

O modelo de prevenção adotado nas práticas de prevenção do dengue mostra-se ainda marcado pelo higienismo/campanhismo, pois as ações se voltam prioritariamente para o combate ao vetor; são setoriais (setor saúde), realizadas por agentes de saúde; se dão para a higienização do ambiente em que as noções de limpeza/ pureza e risco/perigo são enfatizadas.

 

3. Considerações Finais:

Cabe destacar que não se trata de reduzir as soluções técnicas, mas é necessário rever os princípios que modelam as práticas, no sentido de torná-las mais eficientes.

Contudo, é importante relativizar o poder dessas práticas em produzir ou induzir mudanças de comportamentos e atitudes, especialmente em contextos tão adversos à proteção e promoção da saúde.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/saude-artigos/dengue-um-dos-principais-problemas-da-saude-publica-no-brasil-2649136.html

    Palavras-chave do artigo:

    prevencao

    ,

    informacao

    ,

    riscos da dengue

    Comentar sobre o artigo

    Meio News RJ

    Diante da possibilidade de um aumento significativo do número de casos de dengue nos próximos meses, a Prefeitura do Rio decreta Estado de Alerta para a Dengue na cidade e estabelece uma série de ações preventivas e atenção aos doentes. Para isso, o plano de combate à dengue para o verão de 2012 está focado em três vertentes: prevenção, assistência à população e coordenação das ações...

    Por: Meio News RJl Notícias & Sociedade> Cotidianol 26/09/2011 lAcessos: 94

    O Ministério Público Federal (MPF) possui legitimidade para a tutela judicial dos interesses difusos e coletivos, entre os quais está o direito à saúde (art.129, 111 c/c art.196, caput); a ele cabe defender os interesses da população.

    Por: Beatriz Antonieta Lopesl Ciências> Biologial 31/05/2009 lAcessos: 255
    Taíses Daniely Placides

    As doenças negligenciadas são doenças infecciosas, que atingem principalmente a classe econômica mais baixa do país, o que gera o descaso das indústrias farmacêuticas para desenvolvimento e fabricação de fármacos para o tratamento da mesma. Abstract: The neglectful diseases are infectious diseases, that reach mainly the economical class more drop of the country, what generates the negligence of the pharmaceutical industries for development and fármacos production for the treatment of the sam

    Por: Taíses Daniely Placidesl Saúde e Bem Estarl 22/10/2009 lAcessos: 672 lComentário: 2

    Nesta 2ª epidemia a circulação de pessoas apresentando sorologias para DEN 2 e outros novos casos de DEN 1 evidenciando um vírus único e seqüenciais infecções sofridas pelo indivíduo. (DENGUE: Primeira Infecção, Reincidências e suas Conseqüências), ainda não publicado).

    Por: Beatriz Antonieta Lopesl Saúde e Bem Estar> Medicinal 21/08/2010 lAcessos: 47
    Fernando Adas

    Por que será que existem fatos, ideias ou atitudes já experimentados por nós, muitas vezes, reprovados, mas frequentemente repetidos?

    Por: Fernando Adasl Negócios> Atendimento ao Clientel 28/06/2010 lAcessos: 83

    A leptospirose, conhecida também como Febre dos Pântanos, Febre Outonal, Tifo Canino, é uma doença infecciosa aguda de comprometimento sistêmico e de caráter endêmico. Causada por uma bactéria a Leptospira interrogan. Acomete pessoas de qualquer idade e sexo. O principal reservatório da doença são os roedores, normalmente os domésticos como gatos, cães, bovinos, suínos. A infecção pode ser assintomática, sub-clínica ou ocasionar quadros graves, anictéricos ou ictéricos com alta letalidade.

    Por: Bárbara Alves Ruela de Azevedol Saúde e Bem Estar> Medicina Alternatival 23/10/2010 lAcessos: 2,254

    A fisioterapia atua no tratamento de disfunções do trato urinário com exercícios de fortalecimento em cadeia, associado ao uso de cones vaginais para propriocepção e fortalecimento da muscultura do períneo.

    Por: Danieli Fabrícia Pereiral Saúde e Bem Estarl 21/10/2014

    Pacientes com doença crônica merecem atenção especial. SBIm oferece calendário de vacinação gratuito no site

    Por: Ricardo Machado Comunicaçãol Saúde e Bem Estarl 17/10/2014

    É possível que muitas pessoas já tenham ouvido falar sobre esta doença, no entanto, também acaba por ser possível que muitas pessoas simplesmente não tenham conhecimento do que esta se trata. Sendo assim, iremos falar agora mesmo um pouco sobre o que seria a doença psoríase, quais os sintomas entre outras informações importantes para os pacientes ou até mesmo para os curiosos.

    Por: Sayuri Matsuol Saúde e Bem Estarl 16/10/2014

    Sabe o que é psoríase? É uma doença de pele que exige tratamento e não tem cura. Saiba mais!

    Por: Sayuri Matsuol Saúde e Bem Estarl 15/10/2014

    Muitas doenças podem acabar por de certa forma não ter tratamento, assim como também podemos verificar que algumas infelizmente podem acabar por não ter cura, fazendo com que desta forma muitos pacientes acabem por ficar desanimados, no entanto, algumas delas podem acabar por ter um tratamento que seja considerado como adequado. Sendo assim, iremos falar agora mesmo sobre a relação da psoríase acupuntura, esta que se trata de uma doença que pode vir a incomodar diversos pacientes.

    Por: Sayuri Matsuol Saúde e Bem Estarl 15/10/2014

    A psoríase por ser uma doença pode atacar qualquer área do corpo, inclusive os pés. Saiba como verificá-la.

    Por: Sayuri Matsuol Saúde e Bem Estarl 15/10/2014

    Infertilidade é uma das piores consequências da Síndrome dos Ovários Policísticos para a paciente que deseja engravidar

    Por: CLAUDIA CHAVESl Saúde e Bem Estarl 29/09/2014
    Enf Priscila

    Na gravidez a suplementação com alimentos ricos em ferro é fundamental, já que nesse momento especial, a mulher precisa do dobro de ferro consumido normalmente. Mas há vários outros casos em que as pessoas devem ficar atentas e seguir uma dieta especial para casos de anemia. Bebês, idosos, as adolescentes e mulheres entre 19 a 50 anos, precisam consumir mais alimentos ricos em ferro. Blog Mãe Curiosa

    Por: Enf Priscilal Saúde e Bem Estarl 27/09/2014 lAcessos: 11
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast